SOBRE A JARDIN

 

A JARDIN DESENVOLVE UMA MODA AUTORAL E AO MESMO TEMPO ATUAL, TRADUZINDO CONCEITO E INDIVIDUALIDADE EM PEÇAS VERSÁTEIS E CHEIAS DE PERSONALIDADE.

BHARBARA RENAULT, DESIGNER DA MARCA, ACREDITA QUE A SOFISTICAÇÃO VEM DA SIMPLICIDADE. SE INSPIRA EM MULHERES CONTEMPORÂNEAS PARA CRIAR UMA MODA QUE SE DESTACA POR SUA ELEGÂNCIA E ATEMPORALIDADE.

 

A CLIENTE JARDIN É UMA MULHER QUE ENTENDE E SE EXPRESSA PELA MODA,
VALORIZA QUALIDADE, TEM UM DIA-A-DIA MULTIFACETADO,
COM DIVERSOS COMPROMISSOS QUE OSCILAM ENTRE O PROFISSIONAL E O PESSOAL.
ELA OPTA POR LOOKS CASUAL CHIC PARA ESTAR SEMPRE ‘PRONTA’.
E, MAIS DO QUE FOLLOWER, ELA É TRENDSETTER.

 

APOSTAMOS NA MODA ‘SLOW’, EM UM DESIGN ATEMPORAL, MATÉRIA-PRIMA NACIONAL (BASICAMENTE DE FIBRAS VEGETAIS E TECIDOS SUSTENTÁVEIS), QUALIDADE E CONFORTO, EXCELENTE MODELAGEM, CORTE E ACABAMENTO.

PRODUZIMOS PEÇAS DURÁVEIS DESENVOLVIDAS EM NOSSO ATELIER E FEITAS COM MÃO-DE-OBRA LOCAL: UM TRABALHO MANUAL, PENSADO E REALIZADO COM MUITO AMOR E ESMERO.

TRAJETÓRIA

 

PRIMEIRA COLEÇÃO NASCEU EM 2010. AO LONGOS DESTES ANOS, MUITA COISA ACONTECEU. DESFILAMOS VÁRIAS VEZES CONSECUTIVAS NO MINAS TREND PREVIEW. DESFILAMOS COMO MARCA CONVIDADA E PATROCINADA NO VANCOUVER FASHION WEEK.

 

EM 2018 A MARCA FOI FINALISTA DO PROJETO TOP 5,
UMA INICIATIVA DO INMOD E DO SEBRAE NACIONAL:
TEVE SEUS PRODUTOS EXPOSTOS EM UM CORNER DA MARCA DURANTE
A EDIÇÃO DE ABRIL DO SÃO PAULO FASHION WEEK – SPFW
E DESFILOU POR LÁ TAMBÉM.

NESTE MESMO ANO, ABRIMOS NOSSA PRIMEIRA LOJA PRÓPRIA.
UMA GRANDE REALIZAÇÃO TER UM ESPAÇO QUE TRADUZ O CONCEITO,
O DNA E OS VALORES DA MARCA.

 

CHEZ JARDIN – EM 2019, LANÇAMOS UMA NOVA LINHA DE PRODUTOS: PARA CASA. A LINHA CHAMADA “CHEZ JARDIN” NASCEU DO DESEJO DE AMPLIAR NOSSO ‘MIX’ E ESTAR PRESENTE EM OUTROS MOMENTOS DA VIDA DE NOSSAS CLIENTES.

ATRAVÉS DE UMA CURADORIA DE OBJETOS PARA CASA ASSINADOS POR JOVENS DESIGNERS BRASILEIROS E TAMBÉM DO DESENVOLVIMENTO DE UMA LINHA PRÓPRIA DE ARTIGOS TÊXTEIS PARA MESA, APRESENTAMOS UM POUCO MAIS DO LIFESTYLE DA MARCA E OFERECEMOS PEÇAS DIFERENCIADAS QUE REFLETEM OS CONCEITOS DA JARDIN COMO ATEMPORALIDADE, QUALIDADE, DESIGN E NOSSO ESTILO MINIMALISTA E CONTEMPORÂNEO.

A DESIGNER

 

BHARBARA RENAULT

 

FORMADA EM ARTES PLÁSTICAS PELA ESCOLA GUIGNARD, UEMG; PÓS-GRADUADA EM DESIGN DE MODA PELA UNIVERSIDADE FUMEC E MESTRE EM MODA E CRIAÇÃO PELA UNIVERSITÉ LYON II, FRANÇA.

 

BHARBARA TRABALHOU EM BELO HORIZONTE COMO DESIGNER GRÁFICA PARA DIVERSAS AGÊNCIAS, MAIS ESPECIFICAMENTE COM A PUBLICIDADE E A COMUNICAÇÃO DE MODA. DEPOIS ATUOU NA ÁREA DE PESQUISA DE TENDÊNCIAS EM UMA GRANDE MARCA PRÊT-À-PORTER FRANCESA, COM PRESENÇA MUNDIAL, E NO SETOR DE CALÇADOS E BOLSAS NO MERCADO NACIONAL.

DESDE 2010, FUNDOU A SUA MARCA DE VESTUÁRIO FEMININO MOTIVADA PELA VONTADE DE CRIAR PEÇAS PRÓPRIAS QUE REFLETISSEM UMA INTERPRETAÇÃO PESSOAL DO FEMININO E DO CONTEMPORÂNEO

A JARDIN É UMA CONSEQUÊNCIA NATURAL DE UM DESENVOLVIMENTO E UM AMADURECIMENTO PESSOAIS, QUE REFLETEM BHARBARA NÃO SÓ COMO ESTILISTA, MAS COMO MULHER. PARA A ESTILISTA, A JARDIN, MAIS DO QUE A REALIZAÇÃO DE UM SONHO, É A EXECUÇÃO DE UM CONCEITO.

AS SÉRIES DA JARDIN - REDEFININDO O ATEMPORAL

 

O meu objetivo como estilista e proprietária sempre foi criar uma marca em que acreditasse, que tivesse uma essência. Desde o início tinha muito claro que queria vestir mulheres para que elas chamassem atenção pelo que são.

As peças da JARDIN. abrem espaço para que imprimam sua personalidade, são versáteis para diversas ocasiões e estilos, com uma silhueta feminina que não marca ou expõe o corpo exageradamente. Posicionamento este, que pouco tem a ver com um ideal rígido ou normativo sobre o feminino, mas que tenta transpor estereótipos do clássico bem-comportado ou do sexy provocador, extremamente definidos pelas convenções sociais e também pela moda. Somando-se a isso, sempre quis fazer uma moda não perecível, tanto pelo estilo, quanto pela qualidade — afinal forma, função e qualidade são as três determinantes de um design atemporal.

A JARDIN completará 10 anos em fevereiro de 2020, um período de constante aprendizado e crescimento, no qual eu, Bharbara, busquei conhecer e entender melhor o mercado e aprimorar o produto. Sempre tentando não desvirtuar da minha essência, manter o DNA da marca e, ao mesmo tempo, produzir uma roupa que seja desejada, usada e confortável.

A engrenagem do mercado me obrigou durante muito tempo a entrar no ritmo frenético de lançar novidades todo o tempo, e mudar completamente toda a coleção de seis em seis meses. Esse ritmo é cruel e massacra os pequenos com estrutura de atelier como a JARDIN.

Desde que abri nossa primeira loja de varejo, tenho finalmente a oportunidade de introduzir uma nova maneira de trabalhar e lançar produtos redefinindo o “atemporal”. Ao invés de trabalhar com duas grandes coleções na qual se muda totalmente a cartela de cores, modelagens e materiais, passamos a trabalhar com o conceito de “séries”.

– 1 –

AS SÉRIES DA JARDIN - REDEFININDO O ATEMPORAL

 

A proposta é que não deixemos de apresentar algo novo, porém a transição de uma “série” para outra seja mais suave, na qual as cartelas de cores se complementem, as histórias de cada série sigam uma narrativa de continuidade em relação à anterior. Essa continuidade não tornará os lançamentos monótonos: as séries serão como capítulos de uma história mais longa, que também podem oferecer reviravoltas, mas que o fio da meada se estende oferecendo uma conexão maior.

“To be continued”: isso redefine o tempo e a maneira de produzir. E é, ao mesmo tempo, uma maneira de oferecer continuidade a clientes, para que elas possam intercambiar e combinar coleções de maneira mais consequente e consciente, deixando os armários pessoais ainda menos perecíveis.

Ou seja, não vou mais precisar tirar uma “série” da loja e fazer uma superliquidação ou bazar com a sobra, pois elas podem ir se complementando sem cortes radicais de estação e sem a pressa das ‘fast fashions’. Uma proposta que também cabe melhor no clima brasileiro e nas meias-estações.

Assim, agora a Jardin determina a temporalidade das suas roupas pela sua narrativa, quebrando o ritmo de coleções e respondendo aos novos desafios da moda, de maneira fluida, consistente (no design e com nossos valores) e com um ritmo mais devagar. A continuidade das séries nos deixa mais flexíveis para negociar maior quantidade de matéria-prima, nos possibilita oferecer ou relançar estampas e modelos que podem se tornar “clássicos” da marca, ao mesmo tempo que cria o espaço para inovação, nos deixando flexíveis para interagirmos com o presente e com as nossas clientes — já que não temos mais coleções rígidas, feitas com seis meses de antecedência.

Um abraço,
Bharbara Renault.

– 2 –