E você, pensa no que consome? | Blog JARDIN - Por Helena Branquinho

Inspirações

11 outubro 2019

Helena Branquinho

Helena Branquinho​ ​é nossa colunista convidada. Uma portuguesa radicada em Belo Horizonte, que dividirá sua paixão - ​a ​moda - conosco, através de um olhar transatlântico e textos com delicioso sotaque português. Você pode conhece-la melhor em seu blog www.helenabranquinho.com e também no instagram. @helenabranquinho.

PLENA CONSCIÊNCIA…

Abordar o tema “consumo consciente”, apesar de já muito de falar sobre o assunto, parece uma ideologia ainda embrião, para um futuro não tão próximo, reservado a quer abandonar a sua vida estável e formatada, fugir para o meio do mato, viver na natureza com resgates primitivos, tentando causar o mínimo de impacto possível neste mundo azul chamado Terra!

Bem, quanto à “vida formatada”, posso até concordar que temos que lhe dar um abanão, mas não tem que deixar de ser você mesmo, ou migrar de estilo de vida, para acrescentar alguma consciência à sua forma de consumir. Não tem que mergulhar em estudos profundos de alquimia ou de cadeia produtiva… nem deixar de sentir desejo por algo… afina, desejar faz parte da nossa condição humana, e está na base do que nos move diariamente…

 

Sim, todos precisamos de ter mais noção de todos os processos, e de ter uma preocupação com o que estamos a fazer com o nosso único planeta. (Está para tarde a vida em Marte!). Mas entrar no “mundo do consciente”, na verdade é bem simples, não causa angústia, e tem um final feliz!

Um primeiro passo, aparentemente curto, na verdade largo, e na conclusão amplamente eficaz na historinha do consumo consciente, é consumir designers autorais! Desses de pequena produção, que estão ao seu lado. Na maior parte das vezes as roupas são feitas de tecidos nacionais, costuradas por pessoas da nossa comunidade e geram empregos locais. Essa é a vertente financeira e objetiva do assunto, já que, filosofias e utopias à parte, ele vem sempre ao cimo da questão. Até agora só vantagens! Quanto melhor a economia local, melhor a saúde financeira de cada um individualmente. Mas se passarmos para o sensorial, a história ganha um sabor ainda mais intenso e prazeroso: peças de edição limitada (não foi assim que nasceu o conceito de luxo?); atemporais, que não se esgotam a cada mudança de estação; e que ganham valor ao longo do tempo. Um dia serão vintage e as nossas filhas vão adorar roubá-las do nosso closet!

 

 

Quem nunca pecou que atire a primeira pedra! E não prometo não voltar a cair em tentação! Mas a vida é feita de equilíbrios, e de encontros inesperados.

Como incentivo, e para dizer que essa realidade está ao vosso alcance, deixo aqui uma lista JARDIN de peças autorais, de produção limitada, e que vão além das estações. Não são aparência, são essência! Atemporais e multidisciplinares: tão clássicas quanto modernas, tão chiques quanto cool! Sabemos que tudo isto não tem preço! Tem um custo… e acima de tudo, muito valor!! A excelente notícia é que todas estas peças estão com 40% de desconto!! E são mais o que uma boa oportunidade para abrir as portas do armário e deixar entrar leveza e felicidade! Boas apostas e consciência tranquila!

 

Helena Branquinho

www.helenabranquinho.com