OURO NO QUINTAL - Helena Branquinho para JARDIN

Inspirações

06 maio 2020

Helena Branquinho

Helena Branquinho​ ​é nossa colunista convidada. Uma portuguesa radicada em Belo Horizonte, que dividirá sua paixão - ​a ​moda - conosco, através de um olhar transatlântico e textos com delicioso sotaque português. Você pode conhece-la melhor em seu blog www.helenabranquinho.com e também no instagram. @helenabranquinho.

OURO NO QUINTAL

O mundo parou! E agora?!…
Confesso que comecei a escrever várias vezes este artigo… várias e várias… e várias! As surpresas e mudanças de planos às vezes parecem congelar o sentido das palavras, ou dar outro significado a tudo o que queremos expressar! E ficamos presas nos pensamentos, emoções e dissertações…
A mensagem que vos queria trazer aqui, na verdade, é muito simples! E de tão simples e até tão comentada já nas redes sociais, fiquei a pensar no sentido de vir aqui falar no assunto! O que vos poderia trazer de novo? Cheguei à conclusão que vale a pena sim! É um mote que precisa de ganhar força, vida própria, e nunca é demais falar nele: “consuma produtos nacionais!”. Ao que poderia juntar outros como “compre do pequeno produtor, estimule a economia local”, “respeite a cadeia de produção”… seja qual for o setor!
inverno 20 jardin

Inverno 20, JARDIN

Em poucas palavras parece estar tudo dito! Mas não vamos mecanizar o tema como se fosse um meme! Vamos entendê-lo!
“A grama da vizinha é mais verde do que a minha”, não é uma frase exclusiva do consumo brasileiro. Valorizar o importado não é apenas conceito brasileiro. E às vezes são necessários atropelos e tropeços para mudarmos os nossos valores. Mas estamos bem no tempo de entender que a grama do lado pode parecer mais viçosa, mas é o nosso quintal que nos dá de comer! É nele que está o nosso ouro.
Uma das primeiras coisas que pensei com a crise da Pandemia foi: “mais do que nunca, temos que consumir produtos nacionais! E marcas pequenas, que não queremos ver desaparecer do horizonte! Essas que não queremos perder!”. Talvez fosse o meu subconsciente português criado na última grave crise que o país atravessou… Dominado também pelo Cool das marcas internacionais, quando confrontado com a crise, foi o olhar para dentro que lhe abriu portas para fora… E como ser apetecível num mundo onde já há de tudo até de sobra? Sendo autêntico, valorizando as origens únicas, a essência e o DNA individual. Acreditar e valorizar!
O Brasil tem muito talento! Tem muita criatividade! Tem muita capacidade! Tem gente muito comprometida, sonhadora e capaz! Tem gente com alma! E almas de artistas! O Brasil tem uma identidade única, designers fantásticos e uma capacidade de fazer acontecer maravilhosa! Valorizar o #madeinbrazil não é uma salvação para as marcas e a economia em caso de desespero! É um ganho para o consumidor. E para a economia. Para a sociedade!
jardin - a marca

Inverno 20, JARDIN

Não quero fazer discursos longos, românticos nem passar lições de moral. Vim como outsider/insider partilhar o meu ponto de vista, testemunho e opinião. E dizer que são marcas como a Jardin, autorais, que respeitam a cadeia de produtiva e contribuem para a economia local, que nos tornam mais ricos enquanto seres humanos, com um guarda roupa mais rico, e tornam o país economicamente mais forte.
Para além disso, a pandemia também nos mostrou o quanto é importante não dependermos de outros mercados. Ou dependermos menos, muito menos… e o quanto precisamos pensar em alimentar a cadeia produtiva de uma ponta à outra sem depender tanto de terceiros…
Vamos nessa?…
Helena Branquinho