O Sonho, a Magia e a arte da Couture | Blog Jardin

Tendências

31 janeiro 2020

Helena Branquinho

Helena Branquinho​ ​é nossa colunista convidada. Uma portuguesa radicada em Belo Horizonte, que dividirá sua paixão - ​a ​moda - conosco, através de um olhar transatlântico e textos com delicioso sotaque português. Você pode conhece-la melhor em seu blog www.helenabranquinho.com e também no instagram. @helenabranquinho.

O Sonho, a Magia e a arte da Couture

 

A Alta Costura é para poucos! Tão poucos que há uns anos atrás se ponderou a sua continuidade, sentido e viabilidade.

Contra a corrente, bem no auge da discussão, Jean Paul Gaultier fez o caminho inverso, e desistiu da sua linha prét a portêr para se dedicar exclusivamente à Alta Costura. Mas desde 2015 muita coisa mudou! Tanta, que o próprio Jean Paul Gaultier fez dia 22 de Janeiro desse ano, em plena semana de Alta Costura, o seu desfile de despedida, ao fim de 50 anos de carreira. Deixou no ar um até breve com um novo conceito que estaria por vir, e a certeza de que esse format já não seria para ele.

Jean Paul Gaultier, Alta Costura, SS2020, Desfile de Despedida

 

Ao mesmo tempo,  Balenciaga anuncia o seu regresso ao Glamour da linha mais excluiva e de excelêcia de fazer roupa, o que já não acontecia desde 1968, há 50 anos atrás, pelas mãos do próprio Cristóbal Balenciaga em seu atelier. Demma Gvasalia, diretor criativo da marca, terá essa gigante responsabilidade e honra, prevista para Julho desse ano. Faz sentido, já que Cristóbal Balenciaga não acreditava muito, e não se adaptou ao Prét – à – Porter, tendo sido um dos motivos da sua retirada. Considerando que é Demma o seu Diretor Criativo, designer que revolucionou conceitos e formas de fazer moda, muitos esperam que Balenciaga Haute Couture, seja por si só uma revolução.

Valentino, Couture Spring 2020

 

Nós e o mundo estamos em constante transformação! Todos os dias criamos formas diferentes de ver e de estar no mundo. Novos estilos de vida. Mas mais volta menos volta, a Alta Costura continua viva! Talvez mais do que nunca, já que o fast é cada vez menos desejável, e o verdadeiro savoir faire cada vez mais valorizado. Mais ou menos démodé, o ciclo que a mantém viva continua circulando, e entre altos e baixos é uma cultura que não está morta. As perdas não medi, mas os ganhos são o alimento que vai além do pão.

Ronald van der Kemp, Couture Spring 2020

 

 

Elie Saab, Couture Spring 2020

A Alta Costura é para poucos, mas acaba por ser para todos! É arte! Para todos sonharem, se inspirarem e se deixarem levar pela magia…