Conheça Will Cotton e sua arte nada ingênua

Macarons, algodão doce, tortas e bolos mil. São elementos cheios de doçura que povoam o universo do artista americano Will Cotton. Mas suas obras passam longe de serem românticas e ingênuas. As pinturas, esculturas e desenhos de Cotton usam elementos lúdicos para discutir a perfeição da beleza na arte com um toque pop cheio de ironia. Nascido em Massachusetts, ele se mudou para Nova York aos 22 anos para estudar Artes Visuais e até hoje vive e trabalha na Big Apple.

Will Cotton, Macarons

A pintura “The Deferred Promise of Complete Satisfaction”, de 2014, retrata bem a mistura de doçura e picardia da obra de Will Cotton

O artista usa técnicas tradicionais da arte, fazendo telas à óleo sobre tela ou linho. A composição também parece saída de quadros da corte de Maria Antonieta. Mas o impacto das obras contrasta com sua abordagem clássica. Os elementos de fantasia tem certa perversidade, que traz à tona a fragilidade da busca pela perfeição e pelo desejo.

As obras de Cotton são bastante sensoriais, e as formas e texturas aguçam os sentidos de quem as vê. Um bom exemplo é a série “The Persistence of Desire”, em que ele usa várias camadas de tinta à óleo para simular a cobertura dos doces. Sua relação com os sentidos é tão forte, que a confeitaria francesa Ladurée criou um sabor especial de macaron por sugestão de Will Cotton: chantilly com infusão de gengibre. O sabor foi feito em edição limitadíssima para a edição de Miami da renomada feira de arte contemporânea Art Basel.

Will Cotton. Terceiro volume da série de pinturas à óleo "The Persistence of Desire", também de 2014

Terceiro volume da série de pinturas à óleo “The Persistence of Desire”, também de 2014

Cotton também já retratou personagens do mundo pop em suas telas. Sempre associada a uma estética candy e nada boba, a cantora americana Katy Perry já foi musa do artista. Em 201o, ela protagonizou as telas “Cotton Candy Katy” e um retrato. A figura de Katy como objeto de desejo reforça o discurso do artista e também seu diálogo com a cultura da celebridade.

O culto à celebridade não escapou à "doçura invertida"de Will Cotton: retrato da cantora Katy Perry, de 2010

O culto à celebridade não escapou à “doçura invertida”de Cotton: retrato da cantora Katy Perry, de 2010

Fotos: Reprodução/Will Cotton

Inspirações

07 junho 2018

Deborah Morais

Deborah Morais é uma (futura) designer que adora escrever. Nesse espaço, vai falar sobre vários caminhos que levam à Moda: arquitetura, design, arte, cultura e o que mais inspirar!

Tags

arte